sexta-feira, 8 de junho de 2018

Empresa expande rede de máquinas de venda automática com guarda-chuvas gratuitos

De acordo com uma pesquisa realizada em 2016 pela empresa, 70% daqueles que pegaram guarda-chuvas emprestados os devolveram depois
Guarda-chuvas gratuitos no Japão

Mais pessoas poderão enfrentar o aguaceiro repentino durante a temporada de chuvas, enquanto a Dydo Drinco anunciou na semana passada que está expandindo mais a sua rede de máquinas de venda automática de bebidas (jidouhanbaiki, em japonês) que oferece guarda-chuvas para uso gratuito.

Dezesseis províncias em todo o Japão serão lares para as máquinas, as quais distribuem guarda-chuvas deixados para trás dentro de trens e estações.

A East Japan Railway (JR East) e a West Japan Railway (JR West) estão entre as sete empresas ferroviárias que fornecem tais guarda-chuvas para as máquinas.

A empresa de bebidas com sede em Osaka vem fornecendo guarda-chuvas gratuitos em suas máquinas desde 2015. Inicialmente, a área de cobertura foi limitada à cidade, mas expandiu gradualmente, com a empresa visando comandar o serviço em até 500 máquinas em 16 províncias neste ano.

Do total, 40% dos guarda-chuvas sã fornecidos pela Dydo e o restante – cerca de quatro mil ao ano – são de propriedade desconhecida, provenientes de empresas ferroviárias.

70% daqueles que pegaram guarda-chuvas emprestados os devolveram eventualmente

Os guarda-chuvas são armazenados em uma caixa acoplada do lado das máquinas de venda automática da Dydo. De acordo com uma pesquisa realizada em 2016 pela empresa, 70% daqueles que pegaram guarda-chuvas emprestados os devolveram eventualmente.

Dentre as 16 províncias em todo o arquipélago, Fukuoka, Yamanashi, Nagano e Niigata foram adicionadas à rede desde a semana passada.
Fonte: Portal Mie com Japan Times

sábado, 19 de maio de 2018

Ônibus autônomo será testado nas ruas de Hyogo

A SB Drive testará um ônibus autônomo na tecnopólis de Hyogo
ônibus autônomo NAVYA ARMA

Nesta semana, a SB Drive, subsidiária do Softbank Group, anunciou que realizará um teste de demonstração do ônibus autônomo NAVYA ARMA na tecnopólis Harima Kagaku Kouen, em Hyogo, entre os dias 20 e 23 de maio. O objetivo é confirmar a segurança e gerenciamento de condução em um ambiente com carros, bicicletas, pedestres e outras condições.

O veículo percorrerá um trajeto de 1.7km dentro do escritório do Instituto de Pesquisas Físicas e Químicas (RIKEN). Durante o percurso, haverá 5 pontos de ônibus para os visitantes e funcionários do laboratório utilizarem o veículo.

automóvel foi produzido pela Navya

O automóvel foi produzido pela Navya, fabricante francesa de carros elétricos e autônomos, e é elétrico (EV). Basicamente, o sistema realizará a condução por conta própria e pedirá a ajuda de um operador apenas se necessário. Em termos técnicos, essa é uma condução autônoma de nível 3. A SB Drive foi responsável pela criação do sistema de controle remoto do veículo e preparação da pista e da rota.

A locomoção dos visitantes e pesquisadores no local era um problema constante.
Fonte: Portal Mie com IT Media

segunda-feira, 9 de abril de 2018

Akashi Kaikyo: a ponte suspensa mais longa do mundo completou 20 anos

A ponte conecta a cidade portuária de Kobe e a Ilha de Awaji, ambas na província de Hyogo, no oeste do Japão
Akashi Kaikyo

Uma cerimônia foi realizada no sábado (7) para comemorar os 20 anos da Akashi Kaikyo, a ponte suspensa mais longa do mundo.

Com uma extensão total de 3.911 metros e o maior maior vão central do mundo, com um recorde de 1.991 metros, a ponte conecta a cidade portuária de Kobe e a Ilha de Awaji, ambas na província de Hyogo, no oeste do Japão.

A construção levou cerca de 10 anos, com a ponte concluída dentro do prazo em setembro de 1996, apesar do grande terremoto concentrado na ilha de Awaji em janeiro de 1995 que danificou parte da estrutura. A ponte foi aberta ao tráfego em 5 de abril de 1998.

A Akashi Kaikyo, junto com outra ponte que liga a Ilha de Awaji e a província de Tokushima oferecem uma ligação contínua entre a ilha de Shikoku e de Honshu, a maior do Japão.
Fonte: Portal Mie com Kyodo

sexta-feira, 16 de março de 2018

Príncipe Naruhito viaja ao Brasil

O príncipe Naruhito partiu nesta sexta-feira (16) para o Brasil onde ele participará do 8º Fórum Mundial da Água
Príncipe Naruhito viaja ao Brasil

O príncipe Naruhito, herdeiro do trono imperial japonês, cuja ascensão está estabelecida para 1º de maio do próximo ano, partiu nesta sexta-feira (16) para o Brasil em uma viagem de cinco dias onde ele participará do Fórum Mundial da Água.

O filho mais velho do imperador Akihito partiu do Aeroporto de Narita e chegará na capital Brasília na manhã de domingo (18) após fazer conexão em Miami, no EUA.

O príncipe de 58 anos visitará uma instalação de pesquisa agrícola e se encontrará com brasileiros descendentes de japoneses no dia em que ele chegar.

Ele fará um discurso em inglês na cerimônia de abertura do 8º Fórum Mundial da Água na segunda-feira (19) e um outro principal.

Durante o que a Agência da Casa Imperial vê como uma viagem pessoal, o príncipe herdeiro também almoçará com o presidente Michel Temer. Ele partirá de Brasília na terça-feira (20) para retornar a Tóquio na quinta-feira (22).

O príncipe Naruhito, que fez as pesquisas sobre questões da água o trabalho de sua vida, participou dos Fóruns Mundiais da Água em Quioto, México e Turquia.

Ele assumirá o trono do Crisântemo após o imperador Akihito renunciá-lo em 30 de abril do próximo ano no que seria a primeira abdicação imperial do Japão em mais de 200 anos.
Fonte: Portal Mie com Kyodo

terça-feira, 27 de fevereiro de 2018

Lei que proíbe dupla nacionalidade é questionada pela 1ª vez em tribunal no Japão

Grupo de japoneses com cidadania estrangeira pede que a regra seja abolida da Constituição
Lei proíbe os japoneses de adquirirem dupla nacionalidade

Um tribunal de Tóquio irá julgar no próximo mês uma ação inédita no país que questiona a validade da lei que proíbe os japoneses de adquirirem dupla nacionalidade.

O processo foi aberto por um grupo de oito japoneses que vive em países como Suíça e França. Seis deles já adquiriram nacionalidade estrangeira e lutam para não perderem a cidadania japonesa.

Os outros dois envolvidos são japoneses interessados em pedir cidadania de um país estrangeiro e que querem garantir que poderão manter o passaporte japonês.

De acordo com a promotoria, a proibição está descrita no artigo 11 da Lei de Regulamentação de Nacionalidade (Kokuseki-hou) e diz que “o indivíduo que adquirir nacionalidade estrangeira por vontade própria terá que abrir mão da cidadania japonesa”.

Uma reportagem do jornal Asahi informou que essa lei surgiu em decorrência das obrigações do serviço militar, que não aceitava dupla cidadania. A lei foi passada da antiga Constituição para a nova sem questionamentos e levou adiante o ideal da Era Meiji (1867-1912) de que o cidadão deveria ter apenas uma nacionalidade.

O grupo de advogados envolvidos no caso defende que tal lei não é adequada ao mundo globalizado de hoje e que há outras leis da constituição que entram em conflito com esta.

Uma delas é o artigo 13 da Constituição atual, que garante a população o “direito de busca pela felicidade”, e o artigo 22, que garante ao cidadão “liberdade para abrir mão da nacionalidade”.

Para os advogados, este último artigo em especial pode ser interpretado como o direito de escolher manter a nacionalidade japonesa, mesmo que o indivíduo obtenha um passaporte estrangeiro.

Brasil
No Brasil, a Constituição prevê a possibilidade de o cidadão ter dupla ou múltiplas nacionalidades em duas hipóteses, segundo o Ministério das Relações Exteriores:

- Quando há o reconhecimento de nacionalidade originária pela lei estrangeira. Neste caso, a nacionalidade decorre da lei estrangeira, que reconhece como nacionais os nascidos em seu território ou filhos/descendentes de seus nacionais.

- Quando há imposição de nacionalidade pela norma estrangeira, por meio de processo de naturalização, ao brasileiro residente em estado estrangeiro, como condição para permanência em seu território ou para o exercício de direitos civis.

Ou seja, o ordenamento jurídico nacional admite que os brasileiros tenham dupla ou múltiplas cidadanias apenas se a outra nacionalidade decorrer do nascimento em território estrangeiro (nacionalidade originária), de ascendência estrangeira (nacionalidade originária) ou de naturalização por imposição da norma estrangeira.
Fonte: Alternativa

segunda-feira, 19 de fevereiro de 2018

Japão poderá adiar anúncio do nome da nova era até o final do ano

O governo quer divulgar o nome da nova era de maneira apropriada para prevenir confusão pública e interrupção nas atividades econômicas
Imperador Akihito

O governo pode não anunciar o nome da nova era, que terá início com a ascensão do Príncipe Naruhito ao trono do Crisântemo em 2019, até o final do ano ou depois, segundo fontes.

De acordo com a Jiji Press, o governo quer divulgar o nome cedo o suficiente para prevenir confusão pública e interrupção nas atividades econômicas, mas há preocupações de que um anúncio precoce desnecessário também poderia criar confusão e aquecer o debate sobre a escolha do nome.

Preocupações também surgem uma vez que se o nome da nova era for revelado, a atenção pública pode mudar rapidamente do Imperador Akihito – que abdicará em 30 de abril de 2019 – para seu sucessor, que assumirá trono em 1º de maio.

“Estamos trabalhando de uma maneira apropriada sobre a época para divulgar o novo nome de era, enquanto consideramos os possíveis efeitos na vida diária das pessoas”, disse o secretário-chefe do gabinete Yoshihide Suga na sexta-feira (16).
Fonte: Portal Mie com Jiji

quinta-feira, 25 de janeiro de 2018

Tóquio registra -4ºC pela primeira vez em 48 anos; frio histórico assola o país

Uma frente fria estacionou sobre o Japão e deve ir embora somente na próxima semana
Frente fria histórica estacionou sobre o Japão
Os termômetros marcaram -4ºC no início da manhã desta quinta-feira (25) em Tóquio, a temperatura mais baixa registrada na capital japonesa nos últimos 48 anos, informou a Agência Meteorológica.

Uma frente fria histórica estacionou sobre o Japão nesta semana e deve ir embora somente na próxima segunda-feira. Mesmo depois disso, as temperaturas continuarão mais baixas que o normal, segundo a empresa de meteorologia Weathernews.

A cidade de Fuchu (perto da capital Tóquio) registrou a temperatura mais baixa em toda sua história, com -8,4ºC. Em Hitachi (Ibaraki), os termômetros marcaram -6,2ºC, um recorde local.

O frio intenso levou as autoridades a emitirem alertas em relação ao risco de congelamento de água dentro dos canos que ficam na parte de fora das residências, podendo causar rupturas e problemas de abastecimento.

As temperaturas negativas devem continuar assolando praticamente todo o Japão nos próximos dias, durante a madrugada e o início da manhã. A previsão para sexta-feira é de -6ºC em Mito (Ibaraki), -5ºC em Maebashi (Gunma) e -3ºC em Tóquio.

Na região Tokai, os termômetros devem marcar na sexta-feira -3ºC em Nagoia (Aichi), -7ºC em Takayama (Gifu) e -1ºC em Hamamatsu (Shizuoka) e Yokkaichi (Mie).

A frente fria também está fazendo nevar bastante em boa parte do arquipélago, principalmente no norte do país e na costa do Mar do Japão.
Fonte: Alternativa

segunda-feira, 8 de janeiro de 2018

Novos trens-bala terão bateria de emergência para ser usada quando faltar energia

Atualmente, os vagões precisam ser rebocados quando há queda de luz
Trens-bala no Japão

A Central Japan Railway Co. (JR Central) está desenvolvendo um sistema de bateria de íon de lítio que permitirá aos novos trens-bala da linha Tokaido funcionar em casos de falta de energia, informou o jornal Mainichi.

A nova série de trem-bala (shinkansen) N700S deverá ser inaugurada em 2020, juntamente com o sistema de bateria. Pela primeira vez no Japão, os vagões poderão ser movidos por uma fonte de energia interna.

Atualmente, os trens precisam ser rebocados quando há uma queda de energia. A série N700S é caracterizada pelo seu pequeno motor leve, podendo dar espaço para as baterias.

Com a fonte de energia interna, mesmo que um corte de energia ocorra quando um trem estiver em um túnel, os vagões poderão usar energia da bateria para se deslocar para um lugar onde os passageiros possam desembarcar com segurança.

A JR Central desenvolverá as baterias com a Toshiba Infrastructure Systems, a Solution Corp. e outras empresas. A equipe responsável espera que o trem consiga percorrer vários quilômetros a uma velocidade de cerca de 30 quilômetros por hora. Os primeiros testes serão realizados ainda este ano.
Fonte: Alternativa